Pastoral da Comunicação (PASCOM) e Comunicação Social

Coordenador

Fone

Assessor

Pe. Bruno Florindo

Fone Fixo

67 3424-7982

Email

brflorindo@icloud.com

O que é a Pascom?

Pascom é uma sigla que significa Pastoral da Comunicação, criada para divulgar todas as ações que a Igreja realiza no intuito de continuar o que foi a nós confiado por Jesus Cristo: Evangelizar, divulgar a Boa Nova.

A Pascom é a pastoral do ser e do estar com toda a comunidade, auxiliando a Igreja em sua importante e complexa missão de se manter em constante diálogo com a sociedade. Foi criada com o intuito de fortalecer as relações entre as comunidades, gerando unidade entre todas as pastorais, movimentos, serviços e organismos.  Tem como foco ouvir as necessidades e divulgar as ações realizadas por todas as pastorais que atuam na Igreja, tornando-se um importante canal de comunicação, com o objetivo de chegar a todas as pessoas, tanto as que já estão inseridas na realidade eclesial, quanto as que ainda não realizaram essa experiência de fé. Ser agente da Pascom é ser um comunicador comprometido com a Verdade, a Fé e a Esperança.

Qual o trabalho desenvolvido?

Aprovado em março de 2014, o Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil (Documento 99 da CNBB) define a Pastoral da Comunicação (Pascom) como eixo transversal de todas as pastorais da Igreja. Em sua missão, deve irradiar ações próprias do campo da comunicação com sentido pastoral, as quais ganham sentido na medida em que colaboram com a ação evangelizadora eclesial.

E é neste campo que atuam milhares de agentes e profissionais da comunicação em todo o Brasil. Mas o Documento da Conferência dos Bispos esclarece que o trabalho da Pascom não deve ser reduzido aos meios de comunicação, “pois ela é um elemento articulador da vida e das relações comunitárias”. A Pascom favorece o cultivo do ser humano enquanto pessoa que comunica valores, vivenciados a partir da Palavra.

Quem pode participar da Pascom?

Apesar da clareza nas indicações do Diretório de Comunicação, na prática, há certa confusão em relação à aplicação da questão do voluntariado ou da profissionalização do trabalho de comunicação no âmbito eclesial no Brasil.

 

Para o bispo, é importante que se incentivem os trabalhos voluntários, sobretudo em tempos de descentralização da produção de conteúdos e informações: “Em posse de um celular, todos têm um potencial enorme de comunicar. Trata-se de um serviço missionário, que deve brotar no coração de cada um que tem esse dom”.

Quem coordena os trabalhos da Pascom hoje na Diocese de Dourados?

Os responsáveis pela Pascom em nossa diocese são:

AssessorDiocesano Pe. Bruno Florindo