Paróquia

Nossa Senhora da Conceição

Pároco

Pe. Crispim G. dos Santos Nasc. 13/02 Ord. 03/12

Vigário

Pe. Bruno FlorindoNasc.19/01 Ord.04/08

Diácono

Alceu de Aguiar QuadrosNasc. 22/11 Ord. 15/08

Diácono

Arlindo MantovaniNasc. 02/11 Ord. 11/12

Diácono

Vilson Buzzio HernandesNasc. 31/01 Ord. 13/12

Endereço

Av. Joaquim Teixeira Alves, 252-264 - Centro, Dourados - MS, 79801-015

Telefone

3422-2272 (SEC)

Telefone

9 9983-9670

Telefone

9 9998-8347

Telefone

3421-6282

Telefone

3421-5596

Telefone

9 9611-5356

Email

catedral.ic@outlook.com

Sobre a catedral

A Catedral Diocesana Nossa Senhora da Conceição foi construída em 1925 e aberta ao público no dia 8 de dezembro, quando acolheu a imagem de Nossa Senhora da Conceição, após ser levada em procissão pelas ruas do povoado. Contudo, a bênção e a inauguração oficial aconteceram a 6 de junho de 1926, quando passou por Dourados o Pe. João Giardelli, missionário salesiano. A paróquia foi criada no dia 3 de outubro de 1935, um mês e meio antes de Dourados se tornar município. Ao se estabelecer em Dourados, no dia 18 de outubro de 1940, uma das primeiras preocupações do pároco, Frei Higino Latteck, foi ampliar a capela e dotá-la de uma sacristia e de um novo piso – reforma que foi terminada a 25 de maio de 1941.
Devido as atividades pastorais desenvolvida na Capela, logo ficou insuficiente para abrigar os fiéis, motivo pelo qual no dia 12 de março de 1944, foi lançada a pedra fundamental de uma nova Igreja matriz. Apesar de pequena, ela suscitou o entusiasmo e a união da população. Foi inaugurada a 31 de dezembro daquele ano, mas o piso e o forro só foram colocados em 1953.
Em 15 de junho de 1957 foi criada a diocese de Dourados, no ano seguinte (1958) Dom José de Aquino Pereira, primeiro bispo diocesano, abençoou a pedra fundamental da nova igreja em 3 de outubro de 1960 com a celebração do Jubileu de Prata da criação da paróquia, a primeira missa na nova igreja foi celebrada com a igreja incompleta. A igreja seria inaugurada dois meses depois, no dia da Padroeira, 8 de dezembro. A fachada de duas torres é a que permanece até os dias de hoje. Os três sinos – batizados com os nomes de Cristo Rei, Virgem Imaculada e São Francisco – foram trazidos da Alemanha por Frei Teodardo Leitz, em 1962.
Em 1988, Dom Teodardo Leitz, terceiro bispo diocesano, pensou que, ao invés de construir uma nova catedral, em outro local, e dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, como determinava o decreto de criação da Diocese, assinado pelo Papa Pio XII, seria mais fácil e prático reformar e ampliar o templo existente. Foi o que fez, e, no dia 11 de fevereiro de 1990, na presença de Dom Carlos Furno, Núncio Apostólico, foi inaugurada aquela que passou a ser, a partir de então, oficialmente, a Catedral da Diocese de Dourados. Outra importante reforma aconteceu dez anos depois, por ocasião do Ano Santo de 2000, durante o governo pastoral de Dom Alberto Först. Nesta ocasião, o templo foi enriquecido com um mosaico, reconhecido como um dos maiores e mais ricos do Brasil. As duas reformas dobraram as dimensões originais da igreja de 1960, e sua capacidade de acolhida passou de 400 para 850 pessoas.
Em 2007, durante o Jubileu de Ouro da Diocese, foram inseridas imagens nos seis nichos dispostos na fachada da catedral. No alto, duas imagens da Virgem Maria: Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade, e Nossa Senhora de Guadalupe, patrona dos povos indígenas. Logo abaixo, São Benedito e Santo Antônio. Por fim, na base do triângulo, São Pedro, demonstrando a unidade da Igreja de Dourados com a Igreja de Roma; e São Francisco de Assis.