Comissão para a Ação Sócio-Transformadora da CNBB contará com 6 bispos

pic

CNBB

Para o quadriênio 2019-2023, a Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sócio-Transformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) conta com uma nova composição de bispos, tendo o seu presidente sido eleito na 57ª Assembleia Geral dos Bispos, em maio, e os demais referendados na última reunião do Conselho Permanente da entidade, realizada no final de julho de 2019. O nome do assessor para o período também foi nomeado pelo presidente da entidade, dom Walmor Oliveira de Azevedo. Abaixo, eles aparecem na mesma ordem da foto, sendo o presidente o primeiro da esquerda para direita.

Presidente

  • Dom José Valdeci Santos Mendes

É bispo de Brejo (MA), desde 28 de agosto de 2010. Maranhense de Coroatá (MA), nasceu no dia 12 de setembro de 1961. Foi ordenado padre pela diocese de Coroatá em 11 de setembro de 1994. Dom José Valdeci foi nomeado pelo Papa Bento XVI em 5 de maio de 2010 e ordenado para o ministério episcopal em 21 de agosto do mesmo ano, na cidade de Arari (MA). Escolheu o lema: "O Bom Pastor dá sua vida pelas suas ovelhas" (Jo 10,11). Desde 2015, dom Valdeci é membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora da CNBB. Também atua como presidente do Conselho Pastoral dos Pescadores. Durante o processo de escuta do Sínodo para a Amazônia, dom José Valdeci promoveu dois encontros voltados para populações tradicionais da região.

  • Dom José Luiz Ferreira Salles

Natural de Itirapina (SP), ordenou-se padre em 12 de dezembro de 1985. Foi nomeado bispo auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza em 1º de fevereiro de 2006 e sua posse aconteceu aos 17 de março de 2006. Após seis anos como bispo auxiliar, o papa Bento XVI o nomeou como oitavo bispo da diocese de Pesqueira, em Pernambuco, ao 15 de fevereiro de 2012 e sua posse se deu aos 14 de abril de 2012.

  • Dom José Ionilton Lisboa de Oliveira

Ele nasceu em 9 de março de 1962, na Fazenda Chã, em Araci (BA). Foi ordenado presbítero no ano de 1992, na Paróquia Nossa Senhora da Conceição do Raso, em Araci (BA). Foi nomeado pelo papa Francisco bispo da Prelazia de Itacoatiara (AM), em 19 de abril de 2017.

  • Dom José Reginaldo Andrietta

Nasceu em 7 de março de 1957, em Pirassununga (SP). Recebeu a ordenação presbiteral no dia 18 de março de 1983, em sua cidade natal. Foi nomeado bispo de Jales (SP) em 21 de outubro de 2015 pelo papa Francisco após ter aceito o pedido de renúncia do então bispo diocesano, dom Luiz Demétrio Valentini, por limite de idade.

  • Dom Henrique Aparecido de Lima

O bispo de Dourados (MS) nasceu em 28 de julho de 1964, na cidade de Assis Chateaubriand (PR). Em maio de 1999 emitiu os votos solenes, sendo ordenado sacerdote em 21 de novembro do mesmo ano. Foi nomeado bispo pelo papa Francisco em 21 de outubro de 2015.

  • Dom Francisco Cota de Oliveira

Atualmente é bispo auxiliar de Curitiba (PR). Natural de Onça do Pitangui (MG), nasceu no dia 05 de agosto de 1969. Foi ordenado sacerdote no dia 01º de agosto de 1999, pela imposição das mãos de dom José Belvino do Nascimento, hoje Bispo Emérito de Divinópolis. No dia 7 de junho de 2017 foi nomeado bispo titular de Fiorentino e auxiliar de Curitiba. Sua ordenação episcopal ocorreu no dia 26 de agosto desse mesmo ano.

Assessor

  • Frei Olavo Dotto

Sobre a Comissão

A Comissão Episcopal para a Ação Sócio-Transformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) tem como missão ser um instrumento de transformação da realidade à luz da palavra de Deus e das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) na promoção da pessoa e da comunidade, para que se tornem protagonistas, promotoras e defensoras da vida.

A Comissão abriga três grandes campos de ação. Um deles é o das Pastorais Sociais cujo objetivo é ser presença solidária da Igreja junto às pessoas e situações onde a dignidade e a vida são negadas ou ameaçadas. Outro importante campo é o Setor da Mobilidade Humana que abriga um conjunto de ações que tratam do fenômeno do deslocamento da população em busca de uma vida digna. Organismos que tem um trabalho de forte impacto social também são abrigados nesta comissão.